Entendendo Īśvara (Deus)

Segundo a professora Gloria Arieira “Īśvara é o repositório de todo o Conhecimento e Poder, é também as diversas Ordens e Leis através das quais esse Conhecimento se manifesta no Universo.” Georg Feuerstein traduz Īśvara como “regente” – O Ser divino, O criador. No Yoga de Patañjali, Īśvara é explicado como um “Si mesmo especial”. Īśvara é o Cristo interno, o Senhor Supremo, afirma o professor Hermógenes.

Īśvara se manifesta em nosso corpo-mente segundo as ordens biológica, fisiológica e psicológica, assim eu percebo que não sou um indivíduo separado do todo, e enxergar isso me faz sentir que eu já sou a felicidade que estou buscando.

Lembre-se então de quando você acordou hoje pela manhã, lembre-se do sol nascendo. É difícil ficar indiferente à beleza do amanhecer. Nessa beleza nós podemos enxergar a glória de Īśvara, de Deus, da natureza. E mesmo se não estávamos vendo o nascer do sol, se estávamos escovando os dentes ou tomando o nosso café da manhã, a glória de Īśvara também pode ser vista nas coisas pequenas.

Essa beleza de Īśvara não está apenas nas coisas que nós gostamos e apreciamos, naquilo que achamos bom para nós mesmos, a glória de Īśvara está em tudo e todos. Mesmo se a gente sente dor em alguma parte do corpo, ou tristeza ou o que for, a glória de Ísvara também está lá, presente.

Se enxergo ou não essa beleza depende do meu olhar. Olhe então para seu corpo agora e pense nele como manifestação dessa glória, o corpo como manifestação dessa inteligência, desse poder, e também como veículo para que esta individualidade, esse ātma que eu sou, possa reconhecer a sua real natureza.

Que eu possa olhar pro meu próprio corpo e ver a beleza de Īśvara, que eu possa olhar para as pessoas com quem eu convivo e também enxergar essa beleza. Que eu possa enxergar essa beleza dentro do meu lar, no trabalho tanto quanto vejo a beleza de Īśvara no mar ou na montanhas.

O professor Pedro Kupfer ensina: “Que eu possa enxergar através do aparente para perceber o real. Que eu possa ver através da escuridão para perceber a luz. Escuridão é confusão, luz é compreensão.”

Que eu possa entender esse aspecto do ensinamento que diz que eu já estive aqui, estou e estarei. Antes do corpo, durante o corpo e depois dele nessa jornada, nesse caminho. E agora eu fluo desse corpo, eu cuido dele e eu aprendo com ele. Que ao mesmo tempo em que eu enxergo a unidade no corpo, que a glória possa estar presente também nas sensações, e que eu possa estar atento e aplicar os valores básicos olhando para tudo e todos da mesma forma.

Swami Dayananda explica: “Deus é uma realidade única, livre de forma, mas que todas as formas são ele, são dele. O universo é seu corpo, as leis impessoais que governam o universo são a expressão de sua inteligência.”

“Não existe um Deus; só existe Deus”.
Swami Dayananda Saraswati

Hariḥ Oṁ
Patricia de Abreu

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s