Entendendo Īśvara (Deus)

Segundo a professora Gloria Arieira “Īśvara é o repositório de todo o Conhecimento e Poder, é também as diversas Ordens e Leis através das quais esse Conhecimento se manifesta no Universo.” Georg Feuerstein traduz Īśvara como “regente” – O Ser divino, O criador. No Yoga de Patañjali, Īśvara é explicado como um “Si mesmo especial”. Īśvara é o Cristo interno, o Senhor Supremo, afirma o professor Hermógenes.

Īśvara se manifesta em nosso corpo-mente segundo as ordens biológica, fisiológica e psicológica, assim eu percebo que não sou um indivíduo separado do todo, e enxergar isso me faz sentir que eu já sou a felicidade que estou buscando.

Lembre-se então de quando você acordou hoje pela manhã, lembre-se do sol nascendo. É difícil ficar indiferente à beleza do amanhecer. Nessa beleza nós podemos enxergar a glória de Īśvara, de Deus, da natureza. E mesmo se não estávamos vendo o nascer do sol, se estávamos escovando os dentes ou tomando o nosso café da manhã, a glória de Īśvara também pode ser vista nas coisas pequenas.

Essa beleza de Īśvara não está apenas nas coisas que nós gostamos e apreciamos, naquilo que achamos bom para nós mesmos, a glória de Īśvara está em tudo e todos. Mesmo se a gente sente dor em alguma parte do corpo, ou tristeza ou o que for, a glória de Ísvara também está lá, presente.

Se enxergo ou não essa beleza depende do meu olhar. Olhe então para seu corpo agora e pense nele como manifestação dessa glória, o corpo como manifestação dessa inteligência, desse poder, e também como veículo para que esta individualidade, esse ātma que eu sou, possa reconhecer a sua real natureza.

Que eu possa olhar pro meu próprio corpo e ver a beleza de Īśvara, que eu possa olhar para as pessoas com quem eu convivo e também enxergar essa beleza. Que eu possa enxergar essa beleza dentro do meu lar, no trabalho tanto quanto vejo a beleza de Īśvara no mar ou na montanhas.

O professor Pedro Kupfer ensina: “Que eu possa enxergar através do aparente para perceber o real. Que eu possa ver através da escuridão para perceber a luz. Escuridão é confusão, luz é compreensão.”

Que eu possa entender esse aspecto do ensinamento que diz que eu já estive aqui, estou e estarei. Antes do corpo, durante o corpo e depois dele nessa jornada, nesse caminho. E agora eu fluo desse corpo, eu cuido dele e eu aprendo com ele. Que ao mesmo tempo em que eu enxergo a unidade no corpo, que a glória possa estar presente também nas sensações, e que eu possa estar atento e aplicar os valores básicos olhando para tudo e todos da mesma forma.

Swami Dayananda explica: “Deus é uma realidade única, livre de forma, mas que todas as formas são ele, são dele. O universo é seu corpo, as leis impessoais que governam o universo são a expressão de sua inteligência.”

“Não existe um Deus; só existe Deus”.
Swami Dayananda Saraswati

Hariḥ Oṁ
Patricia de Abreu

Published by Patricia de Abreu

Patrícia de Abreu é professora de Yoga há 15 anos, e é inteiramente devota ao estudo e a prática dessa tradição milenar. É filiada ao Yoga Alliance E-RYT, ao Yoga Austrália país onde viveu os últimos 6 anos trabalhando com Yoga e à Aliança do Yoga no Brasil. Atualmente ensina Yoga On-line e produz conteúdo digital para o aplicativo de Meditações Insight Timer. Paty como é conhecida ensina Haṭha Yoga tradicional, Aṣṭāṅga e algumas vertentes mais modernas como Power e Yin. Estudante de Vedānta, já esteve na Índia algumas vezes para aprofundar seus estudos em retiro no Swami Dayananda Ashram. Patrícia busca ensinar de forma integral todos as pessoas interessadas no caminho do Yoga e do autoconhecimento.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: